O que é ser cancelado nas redes sociais?

cultura do cancelamento

De repente você acessa as redes sociais e percebe uma movimentação intensa em alguns perfis, observa conteúdos ofensivos e ameaçadores, e isto vai ganhando mais força com o passar das horas e dias. Muitos seguidores deixam de acompanhar essas pessoas, processos judiciais são abertos, marcas cancelam patrocínios e parcerias e, consequentemente, a reputação das “vítimas” fica fragilizada. Pronto! A justiça foi feita com as próprias mãos, ou melhor, com as próprias redes. Estes indivíduos foram “cancelados” pela sociedade.

Geralmente, essas situações são desencadeadas a partir de um comentário ou atitude visto por muitos como discriminatório, preconceituoso, ofensivo, desrespeitoso, entre outros adjetivos de uma lista que pode ser bem longa.

Possivelmente veio à sua mente alguns casos polêmicos, como aconteceu há pouco tempo no Big Brother Brasil 21 e envolveu a cantora Karol Conká. Suas atitudes e posicionamentos dentro da casa despertaram a raiva de muitos, gerando uma comoção nacional e ataques virtuais e reais, que resultaram em vários danos à sua carreira e vida pessoal.

Como os casos virtuais migram para o mundo real e as consequências podem até resultar em agressões físicas e ameaças de morte, cabe o alerta para se atentar à veracidade das informações antes de publicar, compartilhar e comentar, já que as fakenews podem ser altamente destrutivas.

Diante da “justiça social” praticada na suprema corte da internet, as marcas ficam atentas aos passos dados pelas celebridades e influenciadores, já que os consumidores também podem “cancelar” a compra de produtos e/ou serviços representados por estes famosos, acreditando que a empresa compactue da mesma opinião ou comportamento.

Com isto, as empresas têm investido cada vez mais tempo e dinheiro para acompanhar esse território virtual, além de terem que ser ágeis na tomada de decisões, criação de estratégias de comunicação e marketing para proteger ou potencializar seu branding. Por isso é sempre importante ter ao seu lado uma agência de marketing que vai orientar esse tipo de ação tanto caso você precise separar a sua marca de alguma pessoa, quanto principalmente evitar que isso precise acontecer. Se quiser entender mais sobre esse e outros assuntos, conte com a gente!

Lilian Rodrigues

Relações Públicas, jornalista, especialista em marketing, escritora, docente e apaixonada pelas ciências comportamentais.

Compartilhe:

WhatsApp
Facebook
Telegram
Twitter
LinkedIn